Notícias

“Deve ser analisado o custo benefício” afirma Júnior Geo em audiência pública sobre endereçamento da capital

Segundo Geo, é necessário que se tenha números para analisar a mudança de endereços de forma concreta e não apenas no que se pensa ser melhor.

O vereador professor Júnior Geo (PROS) participou na tarde desta terça-feira, 7, de audiência pública, na Câmara Municipal de Palmas, para tratar com a sociedade o Projeto de Lei que dispõe sobre o endereçamento oficial da Capital. Na ocasião, Geo destacou que para discutir sobre o sistema de endereço da capital é necessário que seja apresentado relatórios com a demonstração completa dos gastos. “Precisamos ter tabelas, valores, para poder definir melhor. Penso eu que se sair o mesmo custo, o ideal é manter o novo. Se por ventura, o custo for uma diferença muito grande, deve ser analisado o custo benefício, o que é mais viável para a sociedade”, disse.

O vereador também questionou sobre o custo do impacto social caso haja mudança de endereço. “Segundo os dados do IBGE em 2001, Palmas tinha cerca de 128 mil habitantes, a estimativa de 2016 é que Palmas está com 280 mil habitantes. Dessa forma, cerca de 70 por cento da população palmense conhece apenas o endereço novo e não o endereço antigo. Qual será o custo de conscientização da sociedade que desconhece o funcionamento do endereço antigo?”, questionou.

“Há a necessidade de uma solução que mantenha apenas um sistema de endereço em Palmas, mas nós precisamos dos dados para que possamos nos posicionar de forma mais adequada”, ressaltou.

A audiência é um requisito para dar andamento ao trâmite do projeto do Executivo que pretende oficializar o endereço antigo na capital. A proposta segue para votação dos vereadores em plenário após as discussões e estudos nas comissões de Finanças e de Constituição, Justiça e Redação. 
 

09/11/17